Superbad. 

Cara, vou te dizer que acho que o povo tá sendo crítico demais. Me deu uma bad ler comentários na internet. Gente intolerante.

Eu também não gosto da Rede Globo. Não vejo novela. Na real eu nem tenho televisão e não ligo uma faz mais de meses.

Mas eu curti demais essa tal de “Supermax”. Assisti os 11 episódios em 2 dias. Acho que apesar da Rede Globo, podemos valorizar um pouco mais as obras do nosso país e dos nossos artistas. Nós também produzimos coisas muito boas e podemos fazer ainda mais.

Se você for considerar que é a primeira superprodução de seriado semanal brasileira nesse patamar/nível, acho que super valeu.

De início, a história parece meio sem pé na cabeça. Eu fui assistir na real pensando que ia ser que nem alguns filmes dos EUA. Uma vibe meio BBB que se transforma em muitos assassinatos entre os participantes e que se descobre que a própria produção do programa é meio psicopata e quer matar pessoas e tal. Tudo a nível de terror psicológico. Não deixa de ser, mas ela tem muito mais terror e ficção científica junto, não era o que eu estava esperando.

A série vai muito além no aprofundamento psicológico de cada personagem e suas ações, aborda temas polêmicos e de onde as pessoas são capazes de chegar acreditando que estão fazendo a coisa correta, assim como para justificar a paranormalidade do que anda acontecendo no presídio.

Não dá para argumentar muito sem dar vários spoilers. Então acho que vou ficar por aqui. Não sei se consegui convencê-los a assistir. Até porque é muito difícil a gente tirar aquela visão intrínseca estabelecida pela Rede Globo aos personagens mais conhecidos da série: Mariana Ximenes, Pedro Bial, Cléo Pires, etc.

Mas se esforcem galera, desbanquem seus preconceitos globais e partiu assistir “Supermax”.

Ansiosíssima pelo último episódio em dezembro. Falta muitos buracos na história para fechar ainda.

supermaxbr

 

Anúncios